Breaking Travel News . Viagem de negócios . País | Região . Destino . EU . Notícias do Governo . Saúde . Italia . Notícias . Pessoas . Segurança . Turismo . Notícias de viagens . TENDÊNCIA

Itália torna a vacinação obrigatória para 50+, anuncia novas multas pesadas

Itália torna a vacinação obrigatória para 50+, ameaça novas multas pesadas
Itália torna a vacinação obrigatória para 50+, ameaça novas multas pesadas
Escrito por Harry johnson

Cerca de um terço dos italianos estão atualmente vacinados com três doses, mas cerca de 20% ainda não receberam um único jab COVID-19.

O Conselho de Ministros italiano, depois de ponderar várias medidas possíveis para reduzir a pressão nos hospitais em meio à cepa rápida da cepa Omicron de coronavírus, aprovou por unanimidade o novo mandato, exigindo que todos com 50 anos ou mais sejam vacinados contra o COVID-19, isentando apenas aqueles que se recuperaram recentemente do vírus ou que não podem tomar as vacinas por motivos médicos.

O mandato entra em vigor a partir de 15 de fevereiro e deve continuar até pelo menos 15 de junho de 2022.

Quem se recusar a cumprir “teimosamente” incorrerá numa possível multa mensal de 100€.

A penalidade mais dura vem além das multas de € 600 a € 1,500 impostas no ano passado para trabalhadores que se recusam a ser imunizados.

As pessoas que já foram infectadas com COVID-19 só serão isentas, com base em sua imunidade natural, se o ataque ao vírus tiver ocorrido nos últimos seis meses.

Italia segue a Áustria, Alemanha e Grécia em ordenar vacinas obrigatórias. O mandato da Áustria se aplicará a todos os residentes com mais de 14 anos a partir de fevereiro, enquanto o da Alemanha terá como alvo todos os adultos.

A Grécia limitou sua exigência a pessoas com 60 anos ou mais e introduziu uma multa mensal recorrente de € 100 para aqueles que não marcaram sua consulta para uma primeira dose de vacina COVID-19 até 16 de janeiro.

Italiano Primeiro Ministro Mario DraghiO governo de 's anteriormente impôs mandatos de vacinas a professores e profissionais de saúde. Desde outubro passado, todos os trabalhadores da Italia foram obrigados a ser espetados ou fazer testes para provar que não estão infectados antes de entrar em seus locais de trabalho.

Para trabalhadores com 50 anos ou mais, um novo pedido removerá a opção de fazer testes COVID-19 em vez de vacinação.

Cerca de um terço dos italianos estão atualmente vacinados com três doses, mas cerca de 20% ainda não receberam um único jab COVID-19.

Notícias relacionadas

Sobre o autor

Harry johnson

Harry Johnson foi o editor de atribuição de eTurboNews por mais de 20 anos. Ele mora em Honolulu, Havaí, e é originário da Europa. Ele gosta de escrever e cobrir as notícias.

Deixe um comentário

Compartilhar com...