Clique aqui para exibir SEUS banners nesta página e pague apenas pelo sucesso

Notícias

Transtorno do espectro autista pode começar na infância

Escrito por editor

A amígdala – uma estrutura cerebral aumentada em crianças de dois anos diagnosticadas com transtorno do espectro do autismo (TEA) – começa seu crescimento acelerado entre 6 e 12 meses de idade, sugere um estudo financiado pelo National Institutes of Health. A amígdala está envolvida no processamento de emoções, como interpretar expressões faciais ou sentir medo quando exposto a uma ameaça. As descobertas indicam que as terapias para reduzir os sintomas do TEA podem ter maior chance de sucesso se começarem no primeiro ano de vida, antes que a amígdala comece seu crescimento acelerado.

O estudo incluiu 408 bebês, 270 dos quais com maior probabilidade de TEA porque tinham um irmão mais velho com TEA, 109 bebês com desenvolvimento típico e 29 bebês com síndrome do X frágil, uma forma hereditária de deficiência intelectual e de desenvolvimento. Os pesquisadores realizaram exames de ressonância magnética das crianças aos 6, 12 e 24 meses de idade. Eles descobriram que os 58 bebês que desenvolveram TEA tinham uma amígdala de tamanho normal aos 6 meses, mas uma amígdala aumentada aos 12 e 24 meses. Além disso, quanto mais rápida a taxa de supercrescimento da amígdala, maior a gravidade dos sintomas de TEA em 24 meses. Os bebês com síndrome do X frágil tiveram um padrão distinto de crescimento cerebral. Eles não tiveram diferenças no crescimento da amígdala, mas o aumento de outra estrutura cerebral, o caudado, que estava ligado ao aumento de comportamentos repetitivos.

A equipe de pesquisa, parte do NIH Autism Centers of Excellence Infant Brain Imaging Study network, foi liderada por Mark Shen, Ph.D., da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill e do Infant Brain Imaging Study. O estudo aparece no American Journal of Psychiatry. O financiamento foi fornecido pelo Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano (NICHD) Eunice Kennedy Shriver do NIH, Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental e Instituto Nacional de Saúde Mental.

Os autores sugeriram que a dificuldade de processar informações sensoriais durante a infância pode estressar a amígdala, levando ao seu crescimento excessivo.

O TEA é um transtorno de desenvolvimento complexo que afeta como uma pessoa se comporta, interage com os outros, se comunica e aprende.

Notícias relacionadas

Sobre o autor

editor

A editora-chefe da eTurboNew é Linda Hohnholz. Ela está sediada na sede da eTN em Honolulu, Havaí.

Deixe um comentário

Compartilhar com...