Clique aqui para exibir SEUS banners nesta página e pague apenas pelo sucesso

Companhias Aéreas . Aeroporto . Aviação . Breaking Travel News . Viagem de negócios . Finlândia . Notícias do Governo . News . Responsável . Rússia . Segurança . Turismo . Transportes . Notícias de viagens

Voar pela Rússia machuca a Finnair

Voar pela Rússia machuca a Finnair
Voar pela Rússia machuca a Finnair
Escrito por Harry johnson

De acordo com os últimos relatórios, a maior companhia aérea da Finlândia, a Finnair, sofreu perdas financeiras substanciais ultimamente, depois de ter sido forçada a voar pelo espaço aéreo russo, registrando perdas operacionais de € 133 milhões, dos quais € 51 milhões em despesas foram para custos de combustível de aeronaves.

A transportadora de bandeira finlandesa e uma das companhias aéreas mais antigas do mundo foi forçada a voar ao redor da Rússia, depois que o país fechou seu espaço aéreo em retaliação às sanções ocidentais, proibindo as companhias aéreas de 36 estados e territórios de seus céus e efetivamente fechando as rotas tradicionais da Europa para a Ásia para operadoras ocidentais.

Os estados membros da União Europeia e outros países ocidentais fecharam seu espaço aéreo para as companhias aéreas russas depois que Moscou lançou sua guerra de agressão não provocada contra a Ucrânia no final de fevereiro. A Rússia respondeu na mesma moeda.

As proibições diretas forçaram as transportadoras europeias a reconfigurar suas rotas, privando alguns países das taxas mensais de navegação aérea que costumavam receber quando voos de estados vizinhos passavam por seu espaço aéreo.

Como resultado das proibições do espaço aéreo, a Finlândia perdeu sua principal vantagem sobre outros países escandinavos – a distância mais curta para China, Japão e Coreia do Sul.

Alguns voos para a região Ásia-Pacífico, que vinham gerando até 50% do lucro da Finnair, foram cancelados.

Os custos de combustível da Finnair também aumentaram quase duas vezes desde dezembro de 2021, de 30% para 55% de suas despesas totais.

Notícias relacionadas

Sobre o autor

Harry johnson

Harry Johnson foi o editor de atribuição de eTurboNews por mais de 20 anos. Ele mora em Honolulu, Havaí, e é originário da Europa. Ele gosta de escrever e cobrir as notícias.

Deixe um comentário

Compartilhar com...