Clique aqui para exibir SEUS banners nesta página e pague apenas pelo sucesso

Notícias

Metade dos consumidores abandona prescrições na farmácia por causa do custo

Escrito por editor

Mesmo com a disponibilidade de ferramentas de transparência de preços, muitos pacientes ainda ficam no escuro sobre os custos de prescrição, com metade dos consumidores abandonando os medicamentos necessários na farmácia, de acordo com uma pesquisa recente com consumidores patrocinada pelo pioneiro em tecnologia de saúde DrFirst.

“Esta é uma zona de perigo para a saúde pública”, disse Colin Banas, MD, MHA, diretor médico da DrFirst. “Para alguns pacientes, especialmente aqueles com condições crônicas de saúde como diabetes, doenças cardíacas e pressão alta, o abandono da prescrição pode levar a sérios problemas de saúde e readmissões hospitalares.”

A não adesão relacionada ao custo pode se tornar uma das principais causas de morte nos EUA até 2030, superando diabetes, gripe, pneumonia e doença renal, de acordo com um estudo da organização sem fins lucrativos West Health Policy Center e Xcenda. Para entender melhor a questão, a DrFirst entrevistou 200 consumidores americanos sobre suas experiências com prescrições e transparência de preços.

A pesquisa descobriu que:

• Quase metade dos consumidores (43%) diz que seus médicos não discutiram os custos da prescrição nos últimos 12 meses

• Metade (49.5%) diz ter abandonado uma receita na farmácia nos últimos anos porque era muito caro

• Quase um quarto (24%) dizem que pararam a terapia prescrita porque não podiam mais pagar

• Um em cada 10 consumidores (11%) relata consumir menos do que a quantidade prescrita para economizar dinheiro

“O choque do adesivo continua sendo uma barreira para a adesão à medicação e simplesmente não há razão para isso”, disse Banas. “Os pacientes nunca devem se surpreender com o custo dos medicamentos no balcão da farmácia. As ferramentas de transparência de preços disponíveis hoje permitem que os prescritores vejam as informações de copagamento de seus pacientes em tempo real para discutir os custos dos medicamentos e possíveis alternativas.”

Além disso, os pacientes dizem que apreciam textos que compartilham informações de custo e economia para ajudar a evitar surpresas. Os participantes classificam a obtenção de informações sobre seus custos diretos como mais valiosas (41%), seguidas por informações gerais sobre o medicamento (23%), cupons digitais que reduzem custos (18.5%) e o custo de uma receita se eles não usam seguro (18%).

“A adesão à medicação é uma responsabilidade compartilhada entre os profissionais de saúde e os pacientes, portanto, os profissionais precisam entender os custos desembolsados, bem como os custos das terapias alternativas, para que possam ter discussões significativas com os pacientes e tomar decisões de prescrição informadas”, disse o Dr. Banas. “E os pacientes devem ter acesso a informações de co-pagamento de suas prescrições, independentemente de o provedor discutir isso com eles”.

O Dr. Banas observou que o DrFirst disponibiliza informações sobre benefícios e custos para provedores e pacientes. O myBenefitCheck fornece aos médicos informações no fluxo de trabalho sobre os custos de prescrição durante uma consulta de consultório ou telessaúde, com base no seguro de saúde dos pacientes, para ajudar a escolher os medicamentos que os pacientes podem pagar e aumentar a probabilidade de os pacientes aderirem às suas terapias medicamentosas. A DrFirst foi a primeira do setor a fornecer transparência de preços aos prestadores de serviços de saúde no fluxo de trabalho de prescrição eletrônica e já processou mais de 185 milhões de transações até o momento. O RxInform ajuda a reduzir o abandono de prescrições fornecendo aos pacientes informações de co-pagamento, vídeos educacionais e cupons por meio de textos seguros enviados automaticamente quando as prescrições eletrônicas estão a caminho da farmácia, que obteve mais de 90% de satisfação do paciente.

Entre os 200 consumidores que participaram da pesquisa online, 52.5% eram do sexo masculino e 47.5% do sexo feminino. A maior faixa etária representada foi de 25-34 (28.5%), seguida de 35-44 (27.5%) e acima de 54 anos (17%).

Notícias relacionadas

Sobre o autor

editor

A editora-chefe da eTurboNew é Linda Hohnholz. Ela está sediada na sede da eTN em Honolulu, Havaí.

Deixe um comentário

Compartilhar com...