Clique aqui para exibir SEUS banners nesta página e pague apenas pelo sucesso

Companhias Aéreas . Aeroporto . Aviação . Breaking Travel News . Viagem de negócios . Alemanha . Notícias do Governo . News . Pessoas . Reconstruindo . Responsável . Agricultura . Tecnologia . Turismo . Transportes . Notícias de viagens

Fraport, Lufthansa e Aeroporto de Munique pedem política climática justa

Fraport, Lufthansa e Aeroporto de Munique pedem política climática justa
Fraport, Lufthansa e Aeroporto de Munique pedem política climática justa
Escrito por Harry johnson

Em seu pacote de proteção climática, “Fit for 55”, a Comissão Europeia propõe três medidas para a aviação: introduzir um imposto sobre o querosene, apertar o comércio de emissões (ETS) e introduzir um mandato crescente de mistura para combustíveis de aviação sustentáveis ​​(SAF). Em 2050, a aviação deverá ser neutra em CO2.

O Grupo Lufthansa, a Fraport e o Aeroporto de Munique apoiam as ambiciosas metas de proteção climática da UE e estão buscando uma agenda de proteção climática bem definida, ao mesmo tempo em que impulsionam a descarbonização de operações que envolvem investimentos de alto custo. Ao mesmo tempo, todas as três companhias de aviação alemãs pedem uma política climática que garanta igualdade de condições para todos, ou seja, que inclua concorrentes fora da Europa. É necessária uma política que impeça que o tráfego e as emissões de CO2 sejam deslocados sem benefício climático (fuga de carbono).

Isso foi explicado hoje por Jost Lammers, CEO da Flughafen München GmbH, Dr. Stefan Schulte, Presidente do Conselho Executivo da Fraport AG, e Carsten Spohr, Presidente do Conselho Executivo da Deutsche Lufthansa AG, em uma coletiva de imprensa conjunta em Frankfurt. Se os atuais planos Fit for 55 fossem implementados sem as alterações apropriadas, isso resultaria em um aumento unilateral de custos para as companhias aéreas e hubs da rede europeia. A conectividade, a criação de valor e o emprego na Europa seriam significativamente enfraquecidos.

É por isso Grupo Lufthansa, Fraport e Aeroporto de Munique apelam ao Parlamento e Conselho da UE para melhorar as propostas da Comissão da UE e iniciar um regulamento que promova a proteção climática eficaz, mantendo a competitividade dos hubs e companhias aéreas europeias. A igualdade de tratamento das companhias aéreas e aeroportos da UE e dos seus concorrentes fora da UE é crucial. Até agora isso estava em falta. Uma vez que os requisitos de proteção do clima propostos são decididamente mais rigorosos para as companhias aéreas e hubs da UE do que para os concorrentes de fora da UE, são necessárias medidas corretivas.

Carsten Spohr, Presidente do Conselho Executivo e CEO da Deutsche Lufthansa AG, disse: “Não pode ser do interesse da UE e da Europa colocar a aviação europeia em desvantagem com o Fit for 55 e, assim, enfraquecer sua competitividade internacional. As emissões de carbono da aviação seriam deslocadas e não reduzidas com as medidas atualmente planejadas. Como resultado, a Europa se tornaria mais dependente de países terceiros em relação à política de transportes. Essa não pode ser a intenção dos formuladores de políticas”.

Dr. Stefan Schulte, CEO da Fraport AG, diz: “Sim, precisamos de mais esforço e velocidade na proteção do clima! Não é uma questão de 'se', mas de 'como' perseguir políticas climáticas ambiciosas. Como tal, queremos evitar o risco de fuga de carbono e de distorções competitivas. Em outras palavras, alcançar uma ação climática eficaz E manter a conectividade e o emprego na Europa.”

Jost Lammers, CEO da Flughafen München GmbH, acrescentou: “Precisamos de uma política climática justa e eficaz que não coloque as companhias aéreas europeias em uma posição pior do que seus concorrentes. Um mero imposto sobre o querosene não economiza um único grama de CO2. No entanto, o comércio de emissões e o mandato de combinação do SAF, devidamente implementados, são instrumentos eficazes para a descarbonização desejada da aviação.”

Sobre o autor

Harry johnson

Harry Johnson foi o editor de atribuição de eTurboNews por mais de 20 anos. Ele mora em Honolulu, Havaí, e é originário da Europa. Ele gosta de escrever e cobrir as notícias.

Deixe um comentário

Compartilhar com...