News

Chávez é o novo herói da paz na Colômbia

Chavez_1204245731
Chavez_1204245731
Escrito por editor

(eTN) – O presidente venezuelano Hugo Chávez fez isso de novo. Ele mais uma vez ajudou a libertar reféns colombianos detidos pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

(eTN) – O presidente venezuelano Hugo Chávez fez isso de novo. Ele mais uma vez ajudou a libertar reféns colombianos detidos pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Após seis anos de cativeiro nas mãos de rebeldes de esquerda, quatro reféns colombianos ganharam sua liberdade em uma clareira na quarta-feira depois que captores os entregaram a representantes do presidente venezuelano Hugo Chávez e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, segundo relatos locais em Bogotá.

Foram libertados os ex-legisladores Gloria Polanco, Orlando Beltran, Luis Eladio Perez e Jorge Eduardo Gechem. Eles se encontraram com uma delegação de helicóptero que incluía o ministro do Interior venezuelano, o ministro do Interior, Ramon Rodriguez Chacin, e um senador colombiano.

Seja por puro altruísmo ou motivação política, o triunfo de Chávez em intermediar a libertação dos quatro reféns é mais esforço do que o governo colombiano, que assumiu uma postura muito severa ao lidar com os rebeldes, pode reivindicar.

A mídia venezuelana está divulgando a libertação dos reféns como uma “operação humanitária bem-sucedida “Camino a la Paz” (Caminho para a Paz), por receber das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia os ex-legisladores, foi denominado pelo executivo venezuelano um ato de fraternidade entre os dois povos”.

WTM Londres 2022 acontecerá de 7 a 9 de novembro de 2022. Registe-se agora!

Segundo reportagens publicadas, a televisão estatal venezuelana os mostrou enquanto eram escoltados até o ponto de encontro na selva colombiana por uma dúzia de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, ou FARC, que usavam uniformes e carregavam carabinas. Prevista há quase um mês, a libertação ocorreu no estado de Guaviare, onde em 10 de janeiro as FARC libertaram duas reféns, Clara Rojas e Consuelo Gonzalez.

“Obrigado por me trazer de volta à vida”, disse o ex-legislador libertado Polanco, enquanto um de seus captores lhe entregava vários buquês de flores. “Vou deixar um destes no túmulo do meu marido e os outros para os meus filhos. É tudo o que posso trazê-los da selva.”

Depois de serem mantidos em cativeiro por quatro ou mais anos, os quatro ex-legisladores foram submetidos a exames médicos e levados em helicópteros para a base do exército venezuelano de Santo Domingo, em seguida, embarcaram em um pequeno jato e seguiram para o aeroporto de Maiquetia, em Caracas, onde foram atendidas por familiares. Eles teriam sido levados ao palácio presidencial de Miraflores para um encontro com Chávez.

Em janeiro, o presidente venezuelano recebeu elogios internacionais por seu papel na negociação da libertação de duas reféns rebeldes de longa data – Clara Rojas e a ex-deputada Consuelo Gonzalez, que foram mantidas por mais de cinco anos em acampamentos na selva pelas FARC.

É importante notar, no entanto, que os esforços de Chávez não foram isentos de controvérsias. O presidente venezuelano Chávez havia sugerido que os países retirassem as FARC da lista de organizações terroristas. Uma sugestão que foi criticada globalmente, já que as FARC são reconhecidas pela maioria dos governos como uma organização terrorista que depende fortemente de narcóticos e resgates de sequestros para financiar suas atividades.

Atualmente, as FARC mantêm muitos prisioneiros de alto nível, incluindo três empreiteiros de defesa dos EUA, outros 40 presos políticos, a política colombiana-francesa Ingrid Betancourt e cerca de 700 estão sendo mantidos sob resgate.

(com entradas de fio)

Notícias relacionadas

Sobre o autor

editor

A editora-chefe da eTurboNew é Linda Hohnholz. Ela está sediada na sede da eTN em Honolulu, Havaí.

Compartilhar com...