associações . Breaking Travel News . Destino . News . Turismo . Notícias de viagens . Uganda

Atualização oficial sobre o Ebola pelo Ministro da Saúde de Uganda

logotipo-da-república-uganda
logotipo-da-república-uganda
Escrito por editor

O ebola está ganhando atenção em Uganda enquanto o turismo permanece seguro. Esta é uma mensagem difícil de vender, mas as autoridades são transparentes na atualização da situação.

O Ministério da Saúde gostaria de atualizar o público que Uganda registrou até agora 3 casos confirmados de Ebola. Dois deles já passaram. A mais recente é a avó de 5 anos do falecido caso de Ebola que viajou da República Democrática do Congo (RDC) em 10 de junho de 2019 e testou positivo para Ebola, mas morreu ontem à noite às 4h. Ela receberá um enterro seguro em um cemitério público hoje no distrito de Kasese.

Equipes do Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) Uganda e Centro de Controle de Doenças (CDC) lideradas pelo Ministro da Saúde, Exmo. A Dra. Jane Ruth Aceng viajou para Bwera ontem, 12 de junho de 2019 e juntou-se à Força-Tarefa Distrital presidida pelo Comissário Distrital Residente do Distrito de Kasese. Nesta reunião, foi discutido um relatório da situação e estabelecidas outras estratégias sobre como melhorar a triagem nos pontos de entrada fronteiriços, incluindo os pontos de entrada não oficiais. O apoio financeiro ao distrito também foi discutido e a reunião decidiu que o distrito deveria preparar imediatamente um plano de trabalho incluindo um orçamento e submetê-lo ao Ministério da Saúde para consideração urgente. Vários parceiros que participaram da reunião reafirmaram seu compromisso de apoiar o distrito.

Por volta das 3h, equipes do Ministério da Saúde da RDC lideradas pela Dra. Tshapenda Gaston se juntaram à reunião. Eles vieram para Uganda a convite do Ministro da Saúde de Uganda. O objetivo do convite foi harmonizar ideias sobre como fortalecer ainda mais a triagem nos pontos de fronteira, compartilhar informações e concluir a assinatura do Memorando de Entendimento com a RDC que também inclui movimentos transfronteiriços de pacientes. Foi resolvido que todos os pontos de entrada não oficiais seriam ocupados tanto no lado de Uganda quanto na RDC e as informações sobre qualquer evento incomum seriam compartilhadas imediatamente. A assinatura do Memorando de Entendimento será realizada em duas semanas.

Durante a reunião, as equipas da RDC solicitaram a possibilidade de o Uganda aceitar o repatriamento dos congoleses que tinham casos confirmados de Ébola e estavam a ser geridos na ETU de Bwera. A equipa da RDC propôs repatriar seis (6) doentes de Ébola de volta à RDC para lhes permitir o acesso a medicamentos para tratamento terapêutico que estão disponíveis na RDC, bem como receber apoio e conforto familiar, uma vez que tinham outros 6 familiares que ficaram para trás na RDC e 5 dos quais também foram confirmados positivos para o Ebola.

WTM Londres 2022 acontecerá de 7 a 9 de novembro de 2022. Registe-se agora!

A repatriação está condicionada a que os doentes e os seus familiares dêem o seu consentimento informado e aceitem de bom grado ir para a RDC, enquanto aqueles que não estão dispostos a consentir serão retidos e geridos no Uganda.

Os 5 pacientes devidos para repatriação incluem; um caso confirmado; irmão do caso índice falecido e 4 casos suspeitos que o são; mãe do caso índice falecido, seu bebê de 6 meses, sua empregada e pai do caso índice falecido que é de Uganda.

Hoje, 13 de junho de 2019, às 10h, a equipe da RDC repatriou com sucesso cinco pessoas. São eles: a mãe do caso índice falecido, o caso confirmado de Ebola de 00 anos, seu bebê de 3 meses e a empregada doméstica. O pai do caso índice falecido que é ugandense também concordou em ser repatriado com sua família. Todas as seis pessoas que entraram em Uganda da RDC já foram contabilizadas.

Até agora, não há nenhum caso confirmado de Ebola em Uganda. No entanto, 3 casos suspeitos não relacionados ao caso índice falecido permanecem em isolamento na Unidade de Tratamento de Ebola do Hospital Bwera. Suas amostras de sangue foram enviadas ao Instituto de Pesquisa de Vírus de Uganda (UVRI) e os resultados estão pendentes.

Uganda permanece no modo de resposta ao Ebola para acompanhar os 27 contatos do caso índice falecido e os 3 casos suspeitos.

As equipas do Ministério da Saúde da RDC também doaram um total de 400 doses de vacinas 'Ebola-rVSV' para apoiar o Uganda a embarcar na vacinação em anel dos contactos para os casos confirmados e os trabalhadores da linha da frente não vacinados e outros trabalhadores. A vacinação começará na sexta-feira, 14 de junho de 2019. Além disso, a OMS Uganda e a OMS Genebra já enviaram mais 4,000 doses da vacina para aumentar a atividade de vacinação.

A equipe de Uganda liderada pelo Ministro da Saúde também realizou uma reunião com a liderança do Reino de Rwenzururu (Obusinga bwa Rwenzururu), pois planejam enterrar a falecida Rainha Mãe do Rei de Rwenzururu e concordaram com o seguinte:

  1. O Ministério da Saúde fornecerá diretrizes para uso pelo Reino, amanhã, sexta-feira, 14 de junho de 2019, levando em consideração o atual surto de Ebola e a importância do controle e prevenção de infecções para minimizar a propagação do Ebola.
  2. Todos os executivos do Reino, membros do Comitê Organizador e todos os moradores do Palácio passarão por uma sensibilização sobre o Ebola antes do enterro da falecida Rainha Mãe para equipá-los com informações e incentivar a divulgação para todo o Reino.
  3. As equipes de vigilância apoiarão os arranjos de sepultamento da falecida rainha-mãe e os processos para garantir um risco mínimo de propagação da infecção.

O Ministério da Saúde gostaria de garantir aos viajantes internacionais que Uganda é seguro e que todos os nossos parques nacionais e locais turísticos permanecem abertos e acessíveis ao público.

Apelamos ao público e aos indivíduos mal-intencionados que desistam de espalhar rumores falsos sobre o surto de Ebola em geral e nas mídias sociais. O surto é REAL e pedimos a todos os residentes de Uganda que permaneçam vigilantes e relatem quaisquer casos suspeitos à unidade de saúde mais próxima ou liguem para nosso número gratuito 0800-203-033 ou 0800-100-066

O Ministério da Saúde agradece a todos os seus parceiros o apoio inabalável na fase de preparação e o compromisso na fase de resposta imediata.

Notícias relacionadas

Sobre o autor

editor

A editora-chefe da eTurboNew é Linda Hohnholz. Ela está sediada na sede da eTN em Honolulu, Havaí.

Compartilhar com...