Companhias Aéreas . Aeroporto . Aviação . Últimas notícias europeias . Últimas notícias internacionais . Breaking Travel News . Viagem de negócios . Notícias do Governo . Notícias de Saúde . Indústria Hoteleira . Hotéis e resorts . Notícias . Pessoas . Reconstruindo . Responsável . Segurança . Turismo . Transportes . Atualização de destino de viagem . Notícias de viagens . tendência Agora

Nova regra da UE proibirá visitantes não vacinados de fora do bloco

Nova regra da UE proibirá visitantes não vacinados de fora do bloco
Nova regra da UE proibirá visitantes não vacinados de fora do bloco
Escrito por Harry johnson

A proposta da Comissão terá de ser aprovada pelo Conselho Europeu e, se aprovada, será aplicável a todos os países da UE, exceto a Irlanda, que não é membro do Espaço Schengen sem fronteiras.

Imprimir amigável, PDF e e-mail

O Comissão Europeia (CE), o ramo executivo do União Européia, divulgou uma proposta hoje, recomendando que todos os países membros da UE só permitam a entrada de viajantes vacinados, recuperados ou essenciais (como caminhoneiros) de fora do bloco europeu, a partir de março de 2022.

Os visitantes em potencial precisariam provar que foram vacinados pela última vez não mais do que nove meses antes da entrada, um movimento que essencialmente torna as doses de reforço obrigatórias para a maioria dos viajantes.

De acordo com as novas regras propostas, os visitantes precisariam de uma injeção de reforço a cada nove meses.

O EU atualmente recomenda que os Estados membros permitam a entrada de viajantes de uma lista de pouco mais de 20 países com “uma boa situação epidemiológica”. Os viajantes desses locais - que incluem Canadá, Nova Zelândia e Emirados Árabes Unidos - podem entrar na UE com um certificado de vacina, prova de recuperação ou prova de teste COVID-19 negativo.

De acordo com as novas regras, essa lista seria eliminada e os viajantes individuais seriam permitidos com base apenas em sua vacinação ou estado de recuperação.

Atualmente, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou vacinas da Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen. O Sputnik-V da Rússia está sendo analisado pela agência, assim como as fotos da Sanofi-GSK e da Sinopharm da China. 

Sob a nova proposta, o União Européia daria entrada a viajantes vacinados com vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mas não pela EMA. Isso dispensaria a entrada de qualquer pessoa vacinada com SInopharm, Sinovac e duas vacinas feitas na Índia, desde que fornecessem um resultado de teste negativo, bem como prova de vacinação.

A proposta da Comissão terá de ser aprovada pelo Conselho Europeu e, se aprovada, será aplicável a todos os países da UE, exceto a Irlanda, que não é membro do Espaço Schengen sem fronteiras.

Cerca de 67% de EU os cidadãos estão atualmente vacinados contra COVID-19, embora países individuais tenham visto taxas de absorção diferentes.

No entanto, mesmo na Irlanda, que tem a maior taxa de vacinação do bloco, 93%, os novos casos semanais do vírus triplicaram desde o início de outubro, e o governo irlandês está considerando novas restrições à vida diária.

“É evidente que a pandemia ainda não acabou”, disse o comissário europeu Didier Reynders na quinta-feira, acrescentando que “as regras de viagem precisam levar em conta essa situação volátil”.

Imprimir amigável, PDF e e-mail

Sobre o autor

Harry johnson

Harry Johnson foi o editor de atribuição de eTurboNews por quase 20 anos. Ele mora em Honolulu, Havaí, e é originário da Europa. Ele gosta de escrever e cobrir notícias.

Deixe um comentário