Clique aqui para exibir SEUS banners nesta página e pague apenas pelo sucesso

Notícias

US$ 100 milhões da ONU para combater a fome na África e no Iêmen

Escrito por editor

Uma contribuição do Fundo Central de Resposta a Emergências (CERF) será destinada a projetos de socorro em seis países africanos e no Iêmen. O dinheiro permitirá que as agências da ONU e seus parceiros forneçam apoio crítico, incluindo alimentos, dinheiro, ajuda nutricional, serviços médicos, abrigo e água potável. Os projetos também serão adaptados para ajudar mulheres e meninas, que enfrentam riscos adicionais devido à crise.

“Centenas de milhares de crianças vão dormir com fome todas as noites enquanto seus pais estão preocupados em como alimentá-los. Uma guerra do outro lado do mundo torna suas perspectivas ainda piores. Essa alocação salvará vidas”, disse Martin Griffiths, Coordenador de Ajuda de Emergência da ONU.

Tornando uma situação terrível pior

O financiamento do CERF apoiará operações humanitárias, com US$ 30 milhões para o Chifre da África, dividido entre Somália, Etiópia e Quênia.

Outros US$ 20 milhões irão para o Iêmen, enquanto o Sudão também receberá a mesma quantia. O Sudão do Sul receberá US$ 15 milhões, assim como a Nigéria.

A insegurança alimentar nesses países está sendo causada principalmente por conflitos armados, secas e turbulências econômicas, e o conflito na Ucrânia está piorando ainda mais uma situação terrível.

A guerra começou em 24 de fevereiro e interrompeu os mercados de alimentos e energia, fazendo com que os preços dos alimentos e dos combustíveis disparassem.

No início deste mês, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) informou que os preços globais dos alimentos estavam em “um novo recorde histórico”, atingindo níveis não vistos desde 1990.

Milhões passando fome

Os humanitários medem os níveis de insegurança alimentar usando uma escala de cinco pontos chamada Classificação Integrada de Fase (IPC).

A Fase 5 é uma situação em que “a fome, a morte, a miséria e os níveis de desnutrição aguda extremamente críticos são evidentes”. A fome é declarada quando as taxas de fome e mortalidade ultrapassam certos limites.

Cerca de 161,000 pessoas no Iêmen devem enfrentar o nível catastrófico da Fase 5 até meados do ano, de acordo com o escritório de assuntos humanitários da ONU, OCHA.

No Sudão do Sul, 55,000 pessoas já podem estar passando por isso, enquanto outras 81,000 na Somália podem enfrentar o mesmo se as chuvas falharem, os preços continuarem a subir e a ajuda não for ampliada.

Uma emergência global

Enquanto isso, cerca de 4.5 milhões de pessoas no Sudão, Nigéria e Quênia já estão, ou em breve estarão, enfrentando níveis emergenciais de fome – IPC Fase 4. O financiamento do CERF também impulsionará a resposta na Etiópia, em meio à pior seca da história recente.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou esta semana que o conflito na Ucrânia desencadeou uma “emergência global e sistêmica” nos setores de alimentos, energia e financeiro.

A crise corre o risco de empurrar até 1.7 bilhão de pessoas em todo o mundo, ou mais de um quinto do planeta – para a pobreza, miséria e fome.

O Sr. Guterres falava durante o lançamento de um novo relatório da ONU que descreve medidas para limitar os impactos, como aumento de ajuda e suprimentos de fertilizantes, alívio da dívida e liberação de reservas estratégicas de alimentos e combustíveis.

Notícias relacionadas

Sobre o autor

editor

A editora-chefe da eTurboNew é Linda Hohnholz. Ela está sediada na sede da eTN em Honolulu, Havaí.

Deixe um comentário

Compartilhar com...